sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

ENDOMETRIOSE: DOENÇA DA MULHER MODERNA?

imagem cedida por Free Digital Photos


Por Caroline Salazar

Há algumas semanas quero continuar este assunto, mas o trabalho é tanto... Após o brilhante artigo do Alexandre sobre endometriose  x doença da mulher moderna, e também depois de minha participação no programa Conexão Futura, do Canal Futura, começo a encabeçar o discurso de que é preciso retirar este rótulo da endometriose. Aliás, não só este, mas todos que norteiam a doença. Pois só assim passaremos a ser respeitadas e evidentemente, a doença será levada a sério como deve ser. De onde surgiu esta frase ridícula de que a endometriose é a doença da mulher moderna? Semanas atrás, quando estava num encontro de advogadas, conheci a coordenadora de um grande amigo meu que tem endometriose. Conversa vai, conversa vem, eu disse a ela: “Doutora, agora vou lutar para tirar o rótulo da tal doença da mulher moderna, porque nunca ninguém falou sobre isso, muito pelo contrário, o que você acha?” Inesperadamente, ela me deu os parabéns e logo soltou: “Engraçado a endometriose ser chamada de a doença da mulher moderna, o pior é na maioria são os médicos homens que falam esta frase, não?” Eu disse: “Não necessariamente, já ouvi de especialistas mulheres também.” “Pior ainda é ouvir isso de uma médica mulher. Conte comigo, Caroline, estou com você porque realmente precisamos realmente tirar este rótulo.”

Realmente é ridículo quando lemos uma matéria sobre endometriose e logo no título já vem: Endometriose – a doença da mulher moderna. Gente, que modernidade que tem em ficar doente? Esta doença é terrível, extremamente triste, por acaso se entupir de remédios, tomar morfina, ficar indo e vindo de hospital é algo moderno? Mais ridículo ainda (para não falar outra coisa), é quando os médicos falam que a mulher tem endometriose porque optou por estudar, trabalhar e só depois ter filhos. Sabia que esta frase além de preconceituosa é discriminar a mulher perante a Constituição Brasileira de 1988, pois lá prega a igualdade entre gêneros, ou seja, que perante a lei brasileira homem e mulher são iguais e não pode haver discriminação? Ou alguém diz que câncer de próstata é a doença do homem moderno?

Outro dado para tirarmos esse mito: se a endometriose atinge meninas, quer dizer que a menina que menstrua aos 10 anos é moderna? A minha começou a se manifestar na minha menarca, aos 13 anos. Nesta idade, eu ainda não tinha a vida ativa que tinha aos 20, 30 anos. A outra questão é que a endometriose é uma doença antiga. A maioria das pessoas acha que a doença é nova, mas ela é mais antiga do que se pensa. Há relatos de mulheres com sintomas da doença desde a antiguidade, na Era Egípcia, e antes mesmo do nascimento de Cristo, além de estar explícito na Bíblia que Jesus curou a mulher do fluxo de sangue, que sangrou sem parar por 12 anos. Então, porque chamar a doença de “a doença da mulher moderna?”. É triste ver colegas jornalistas começando o título já com esta frase infeliz. Se pensarmos com o cérebro, ter esse rótulo ridículo é como se  a mulher quisesse ficar doente. E isso é mais uma falta de respeito com que sofre com esta maldita. Falar que a mulher optou por estudar e por seguir carreira além de discriminação é preconceito, pois quem disse que a mulher é obrigada a ter filhos? Quem? É como se dissesse que nós servimos apenas para procriar, o que é um grande absurdo. A mulher tem direito de fazer com seu corpo o que ela bem entender. Cada um de nós, seres humanos, somos indivíduos.

Falar tamanha ignorância confirma que o Brasil é um país extremamente machista e que ser mulher significa ficar com a barriga no fogão, servindo o marido e os filhos. Porém, o que essas mentes ignorantes não sabem é que aquelas quem têm as dores da endometriose, e que optam por trabalhar em casa,  não conseguem nem mesmo lavar um copo, não consegue cozinhar, não consegue limpar a casa. Sem falar que a maioria que tem filhos, após a gravidez ficam ruins de novo, e não conseguem cuidar dos filhos. Ter filho mais tarde não é tão opção como querem fazer parecer. Hoje precisa ter dois salários em casa, o da mulher não é apenas um extra, virou fundamental. Um salário decente exige estudo, qualificação. Então esse é um assunto daqueles em que se fugir o bicho pega, se ficar o bicho come. Porque criança quando nasce merece uma chance decente, e se não tiver dinheiro para alimentação, saúde e estudo, quem estará sendo criado? Mais um marginal? Então é egoísmo a mulher ter filho mais tarde, ou uma atitude responsável ao querer preparar a sua estrutura familiar antes de fazer chegar outra vida nesse mundo? Sem falar que hoje as mulheres representam 53% da população, já pensou se todas parassem de trabalhar fora, onde nossa economia iria parar? O país iria ainda mais pro brejo.

Fica na consciência de cada um a opção de encarar na perspectiva que achar mais correta. Vamos juntos tirar este estigma? Ajude-me votando no A Endometriose e Eu no prêmio TopBlog Brasil 2013(clique aqui e dê seu voto) e compartilhe a votação entre seus amigos. O primeiro turno vai até 25 de janeiro. Conto com o voto de todos e a gentileza em compartilhar a votação entre seus amigos. E para ajudar a tirar esse rótulo da endometriose a Marcha Mundial pela Conscientização da Endometriose será muito importante. Inscreva-se e venha marchar conosco. Beijo carinhoso!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário